blog-banner

Varejo 4.0: a nova era no mundo dos negócios

Publicado em: 26/02/2021 18:40 | Atualizado em: 28/09/2021 15:28

 

O Varejo 4.0 é a mais recente novidade que tem impactado a forma de gestão das empresas e o relacionamento com os clientes. Diferente das versões anteriores, esta nova onda possui ênfase na tecnologia e busca entender profundamente o comportamento do consumidor para promover inesquecíveis experiências de compra.

 

Você já conhece essa estratégia e sabe como ela funciona no segmento de construção civil?

 

Aprenda neste artigo todos os detalhes do novo varejo, suas principais ferramentas, vantagens e benefícios.

 

A evolução do comércio varejista

 

Antes de descobrir como funciona a nova tendência de mercado varejista, acompanhe abaixo cada uma das versões do varejo e como elas foram evoluindo com o tempo:

 

  • Varejo 1.0: é o uso de uma estratégia voltada para venda em grandes volumes, com foco na massificação. Um grande exemplo disso é o Walmart que prioriza preços baixos, diversificados pontos de venda e alto estoque de produtos. Entretanto, com o passar do tempo esse tipo de estratégia tem perdido competitividade no mercado, pois as pessoas passaram não apenas a considerar somente baixo preço, mas o relacionamento que possui com as marcas e, principalmente, o uso da tecnologia para intermediar suas decisões de compras e aquisição dos produtos.

 

  • Varejo 2.0: nesta versão o foco centrava-se nas estratégias de relacionamento com o consumidor. Já que os clientes buscavam mais do que preço era necessário aproximar-se dele para gerar a expansão do negócio, as empresas começaram a criar ferramentas para entender os hábitos de consumo do seu público e com base nisso construir relações mais fortes dele com a marca.

 

  • Varejo 3.0: um pouco parecido com a fase anterior, o varejo 3.0 enfatiza a conexão do cliente com a marca. Além do relacionamento mais próximo, o objetivo é promover um laço mais forte por conta dos valores e causa que o negócio possui para gerar no consumidor uma identificação com a empresa. Novamente, não é sobre preço ou formas de relacionamento apenas, trata-se de aspectos mais intangíveis e morais da empresa que geram engajamento positivo ao ponto dos clientes se tornarem fãs dela.

 

  • Varejo 4.0: a nova era do varejo é um combo dos anteriores, mas com o acréscimo da tecnologia. A ênfase nesse modelo está em digitalizar a etapa de compra do consumidor, usando para isso diferentes ferramentas tecnológicas que vão ajudar a entender o comportamento do cliente e entregar as melhores ofertas e experiências.

 

Embora esses quatro modelos de varejo tenham surgido em épocas distintas, ainda hoje é possível ver o funcionamento do varejo multiformato. Ou seja, todos esses tipos de varejo podem acontecer ao mesmo tempo. Assim a empresa pode buscar altos volumes de venda, quanto priorizar o relacionamento e conexão com o cliente e, sobretudo, digitalizar a experiência de compra do seu consumidor usando diferentes ferramentas tecnológicas.

 

O conceito por trás do Varejo 4.0

 

Quanto ao termo Varejo 4.0 ele nada mais é do que uma adaptação feita por profissionais de negócios, a partir dos estudos de Philip Kotler. Este, um grande estudioso da área de

marketing, mais conhecido como Kotler, é o principal responsável por muitas das atuais estratégias de negócio usadas pelas empresas, sobretudo para propaganda e vendas.

 

Baseado nesses estudos, grandes mentores do mercado varejista começaram a perceber uma mudança no comportamento do consumidor, principalmente por conta do crescimento acelerado da tecnologia.

 

As ferramentas tecnológicas passaram a mediar as relações na sociedade através de suas ferramentas digitais usadas para entretenimento, relacionamento e compra. Assim, cada vez mais, inovadores instrumentos tecnológicos surgiram buscando otimizar a experiência de compra das pessoas.

 

Essa mudança no comportamento do consumidor gerou tantos impactos que fica difícil listar todas elas. Os principais que merecem maior destaque são:

 

  1. Foco na experiência de compra
  2. Sentimento de valorização por parte do consumidor
  3. Fortalecimento do relacionamento com o cliente
  4. Mais conexão e engajamento com a marca
  5. Maior aproximação do consumidor
  6. Aumento das vendas online.
  7. Redução de preço em compras pela loja virtual.
  8. Facilidade para encontrar informações sobre produtos e comparar preços.
  9. Comodidade na hora da compra, podendo ser feita a qualquer hora.
  10. Facilidade de pagamento (à vista no boleto, no crédito ou débito).

 

Esses são os efeitos causados pela tecnologia no mercado varejistas e que consolida o chamado varejo 4.0. Para ter uma noção, em 2020 as vendas online cresceram 47%, segundo a pesquisa realizada pela Ebit | Nielsen em parceria com a Elo.

 

Agora, quando ouvir o termo vai saber que ele se refere a transformação digital dos últimos anos dentro do mundo varejista.

 

Além de conhecer o conceito desse universo 4.0, é importante ficar por dentro de alguns termos muito comuns:

 

tabela explicativa varejo 4.0

 

A estratégia do varejo 4.0 no segmento de materiais de construção

 

Depois dessa explicação, você pode estar se perguntando: “E o segmento da construção civil nessa história, fica como?”

 

Assim como todos os outros setores, o mercado de construção civil precisa se digitalizar e promover experiências de compra inesquecíveis aos seus consumidores, sem esquecer os pilares das demais versões do varejo: alto volume de vendas, foco no relacionamento, conexão com o consumidor através de valores éticos e vendas centradas em experiências.

 

Entre as diversas estratégias de varejo 4.0, algumas ferramentas que qualquer lojista pode explorar são:

 

Customer Relationships Management – CRM: qualquer planilha simples de excel já permite montar um sistema de gestão das informações do consumidor. Não precisa contratar um software avançado para anotar dados como: nome, aniversário, frequência de compra, interesses, entre outros.

 

Omnichannel: Disponibilize diferentes canais de atendimento e venda para o seu consumidor. Além das tradicionais formas de atendimento, por telefone e contato presencial, deixe à disposição outros meios como o WhatsApp e redes sociais e facilite a comunicação com o público.

 

E-commerce: Se não puder montar um site para comercializar os produtos, use as redes sociais como forma de divulgação. Publique com frequência conteúdos que vão atrair o consumidor para a compra e se mostre disponível para ajudá-lo na tomada de decisão.

 

Explorando ao menos essas possibilidades mais simples, os lojistas podem praticar o varejo 4.0 e já ingressar na tendência de mercado que deve ficar por muito tempo. Afinal, enquanto houver avanços tecnológicos, mais possibilidades vão existir para o segmento varejista explorar.

 

Quer dicas para vender mais?

 

Guia de Vendas E-Book

DESTAQUES

Diferenças entre as corrediças telescópicas e corrediças com roldana

Diferenças entre as corrediças telescópicas e corrediças com roldana

Talvez você não saiba, mas as corrediças telescópicas e com roldana são os principais modelos responsáveis por garantir a mobilidade de gavetas instaladas em armários, aparadores, gaveteiros, entre outros móveis da casa. Por isso, esse tipo de ferragem é tão importante para abertura e fechamento dos compartimentos.

As ferramentas manuais mais importantes no dia a dia

As ferramentas manuais mais importantes no dia a dia

Para realizar pequenos reparos e reformas, é indispensável o uso de ferramentas manuais. Elas são essenciais para os serviços no dia a dia, seja de um profissional de marcenaria, na indústria ou pelo consumidor final em simples reparos domésticos. Por isso, hoje você vai descobrir quais ferramentas não podem faltar no seu kit e conhecer as vantagens de cada uma delas.

MAIS ACESSADOS

Tags

Para mais infomações sobre estoque, preços e condições comerciais acesse nossos Termos e Condições

© Todos os direitos reservados COMPLETA - 2021